Selecionar Florais e Podar Arvores...

Posted by ana.rita.afonso.rodrigues on August 27, 2013 at 7:25 PM

Escolher remédios dentro do sistema Floral do Dr. Bach é uma tarefa desenhada para ser simples e assertiva. No entanto, quando começamos, amantes, curiosos e terapeutas (eu incluída) a nossa desenvoltura é normalmente menor… a arte de selecionar molda-se inevitavelmente com a prática.

 O que não constitui um problema, no entanto, pode interferir com o resultado final pois o grau de assertividade da mistura de florais selecionada pode ser menor e a eficácia pode ficar de algum modo comprometida. (Recordem contudo que se se enganarem, não faz mal. Não existem efeitos secundários ou nefastos de nenhum tipo. O único que pode acontecer é que os florais preparados não surtam o efeito esperado!)

Deixo-vos aqui uma dica em jeito de metáfora prática, útil como critério para ajudar a discernir sobre em que emoções se deve basear a vossa seleção.

Podar emoções: selecionar florais é como podar árvores!

Imaginem as vossas emoções como uma árvore que vão podar. Talvez saibam tanto de poda como eu, mas quem já teve de se arranjar com um serrote e uma tesoura de podar para tirar uns quantos ramos de uma árvore assoberbada sabe (e quem não sabe imagina!) o trabalho que dá cortar aqui e cortar ali em vão. Mesmo com pouca prática, rapidamente se chega à conclusão que certos ramos “nascem” de outros e que, se cortarmos o ramo do qual nascem aqueles que queremos podar, os outros por consequência, também se eliminam.

Algo parecido acontece com as nossas emoções e estados de espírito: alguns são como ramos principais, outros secundários. Tratem de concentrar a vossa seleção naquelas emoções centrais, que vos parecem claramente ter gerado emoções consequentes, secundárias (mas não necessariamente menos intensas). Não deixando de parte as emoções consequentes sempre que estas forem suficientemente intensas que vos pareçam merecer ser consideradas na preparação de um frasco de tratamento.

Ou seja, tal como podar os ramos na base de toda a ramagem miúda libera a árvore de muito consumo de energia e permite mais luz e melhor gestão de recursos, focar a seleção nas emoções que estão visivelmente na base de um desequilíbrio é por regra mais assertivo e permitirá provavelmente uma recuperar o equilibrio emocional e mental mais rápido.

Atenção! O Dr. Bach ensinou-nos contudo que tratamos sempre do Aqui e Agora, de como nos sentimos Hoje. Por isso, se além das emoções principais, a «ramagem» também nos está a perturbar bastante, deve-se sim selecionar de acordo com essas emoções mais diretas.

Não pretendo afirmar que a melhor seleção é aquela «que vai mais direto ao assunto». Cada situação é única e não existe tal coisa como «a melhor seleção». A intenção é deixar-vos este lembrete para quando tenham 8, 9, 12 ou 15 remédios à vossa frente e não saibam como estreitar a seleção. Boa sorte e bom caminho!

Estamos juntos.

 

Categories: None

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

0 Comments